24 de mai de 2011

Coisas...

Se alguma vez pensei que há coisas valiosas, já entendi que tais coisas só tem valor se me ajudarem a estimar ainda mais as pessoas.

Pessoas caras me fazem sorrir sem perceber. Coisas não.

Coisas podem me apontar pessoas, mas ainda são coisas. Sem as pessoas tais apontamentos seriam vazios e sem graça.

Por hoje é só, e vou dormir tentando livrar-me de coisas, todas as que não tiverem real utilidade.

Abraços, até breve.
Kenny

5 de ago de 2008

Fins que envergonham os meios

E calhou que "isso" veio avisar-me
que a poeira ia tomando conta
e as idéias, despidas de pompa
já paravam de aqui florear

Acontece que idéias se enganam
e, pedindo férias coletivas
se achando, entre outras, perdidas,
já pensavam não mais importar

Então "isso" chega, surgindo do nada
louvando a premissa que o esmero da forma,
suadeira incessante que molha a bigorna,
bem faz seu papel se à espada afiar

Mostrando porém que o labor dessa carne
sinal pode ser de uma oculta ferida
se sua auto-imagem, pra si refletida
é só o que almeja em seu sabre enxergar

24 de dez de 2006

"Carro Velho" - O Rei do Elogio

Bom, pessoal, encontrei isso aqui e gostaria de enriquecer o vocabulário de vocês através dessa "omíudi" contribuição.
"Carro Velho", de Quixeramobim (interior do Ceará), toma conta do microfone da Rádio 104 para tecer os mais variados elogios a Carlinhos Elói e toda a família Balbino.

Detalhes:
- O sujeito conhecido como "Carro Velho" existe mesmo e é conhecido por gostar de falar "bonito". Ou seja, é um sujeito "mediováigel". Durante o dia, "Carro Velho" trabalha em uma loja de materiais de construção e, à noite, é vigia da prefeitura de Quixeramobim;

- A Rádio 104 - onde a gaiatice teria sido gravada - é uma rádio comunitária de Quixeramobim. E Carlinhos Elói é um dos locutores mais famosos da "concorrente", a Rádio Cristal, onde apresenta o programa "Amanhecer na Difusora";

- Por último, Miguel Balbino é (pasmem!) pai de Carlinhos Elói!

Novela mexicana perde...

Beijão pra todos, boas festas!

2 de dez de 2006

Unit Rock: 1 ano depois...

Fala, moçada!
Vou deixar um vídeo aqui do 1º Unit Rock, com cenas de algumas bandas e como está tarde volto pra escrever sobre ele depois. Por hora, vejam um pouco do que rolou em cenas das bandas MAC8, M3:16, Pilgrims, En-Hacoré e Ruah:



(aqui vai aparecer um texto... hehehe)

Até +!

30 de out de 2006

Pra não dizer que não falei de flores...

Olá, pessoal.
Uma boa semana pós-urnas a todos nós!

Não imaginava discutir política aqui, mas assim como se respira, se pensa e se vive em comunidade, entender a política faz parte de nossas vidas e não me parece inteligente tentar ignorá-la. Então comentarei a seguir duas coisas interessante sobre a mentalidade brasileira me chamaram a atenção nessa reta final das eleições:

A primeira é a incrível distorção do senso de coletividade de tantos, dos quais ouvi palavras do tipo "votei em FULANO porque seu governo trará benefícios PRA MIM". Será que isso é o que queremos chamar de democracia? Isso é o poder que emana do povo PARA O POVO? Perguntar não ofende, é só pra pensar...

A segunda é o comportamento de um grupo frustrado, que num rompante de birra e desrespeito à vitória da maioria vem falar de golpe militar e insanidades semelhantes. Ora, o Brasil precisa de outra ditadura? Essas pessoas não conhecem nossa história ou a de outros países que passaram por coisa semelhante? Não sabem o preço a pagar por esses desejos mesquinhos, que ignoram a vontade do povo expressa nas urnas e a ação da justiça, caso seja realmente o caso de encontrarem provas que desabonem aqueles que estão no poder? Deviam lembrar-se (se é que um dia conheceram) aquele povo brasileiro, nossos pais, tios e avós, que deram sua cara a tapa e até suas vidas defendendo nossa nação da tirania de um regime ditatorial, pois entendiam que até escolher errado é melhor do que perder o direito de escolha! Sim, escolher é um processo didático, e também na política esse processo deve respeitar suas normas. Vale repensar que o Brasil é uma criança nessas coisas, e em tantas outras também. Um país que tem pouco mais de 500 anos, viveu experiências sofríveis, ora sob o imperialismo colonialista, ora sob militares tiranos, intolerantes e assassinos, e que acaba de eleger seu 5° presidente por voto livre direto, não pode achar que está no auge de sua maturidade política - longe disso, diga-se de passagem! Mas esse status fica num trecho da estrada muito mais à frente, e querer dar passos maiores que as pernas certamente causará um desgaste bem pior.

Eu quero um Brasil melhor como tantos outros brasileiros, mas não ao custo de uma insanidade desnecessária. E posso até ficar "louco" mas desde que haja justificativa pra isso. Até lá, prezo pela manutenção da democracia, pois ainda que gere maus resultados imediatos gerará também um aprendizado, algo que definitivamente devemos adquirir.

Continuo prezando pela justiça e pela verdade, e à medida que a verdade for trazida à tona - dever de todos nós lutarmos por isso! - que lutemos também pra que a justiça seja feita. E que possamos dar tempo ao tempo, com cabeça fria e antenas ligadas, pois nada como um dia após o outro pra mostrar o valor de nossas decisões.

Abraços a todos, e vamos ficar de olho.

K!

5 de out de 2006

O analfabeto político

Olá, pessoal!
Pra refletir, e cair um pouco mais na real.

************************************************

O analfabeto político
por Bertolt Brecht

"O pior analfabeto é o analfabeto político.
Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos.
Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem de decisões políticas.
O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política.
Não sabe o imbecil que da sua ignorância política nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos que é o político vigarista, pilantra, o corrupto e lacaio dos exploradores do povo."

************************************************

Sem meus comentários, agora é com vocês...